Neurocirurgião Geral em Brasília

Neurocirurgião e Neurologista em Brasília

Neurologia Geral

O neurocirurgião trata de diversas doenças que acometem o sistema nervoso central e periférico. A avaliação do neurocirurgião é sempre importante para descartar a possibilidade de tratamento cirúrgico de algumas doenças.

O que é Hidrocefalia

O que é Hidrocefalia

O termo Hidrocefalia é de origem grega: hidro significa água; céfalo, cabeça, que caracteriza uma doença congênita (adquirida durante a gestação) ou adquirida quando ocorre um acúmulo anormal de líquido (líquido cefalorraquidiano, líquor ou LCR) em áreas específicas do cérebro chamadas de ventrículos. O LCR produzido nos ventrículos, circula através de um sistema de canais no sistema nervoso central (SNC) e é absorvido na corrente sanguínea. O liquor tem grande importância na proteção do SNC visto que ele auxilia no amortecimento de impacto e por ser completamente estéril não permite também a entrada de qualquer substância ou microorganismo que possa lesar o cérebro. Na hidrocefalia ocorre um desequilíbrio deste líquor em relação à quantidade produzida e reabsorvida, como consequência, isso leva ao aumento do ventrículo e da pressão no cérebro.

A Hidrocefalia é classificado conforme a causa

Obstrutiva (Não-comunicante) causada por bloqueio no sistema ventricular do cérebro, impedindo que o líquido cérebro-espinhal flua devidamente pelo cérebro e a medula espinhal (Espaço subaracnóideo). A obstrução pode apresentar no nascimento ou após. Um dos tipos mais comuns é a estenose do aqueduto, que acontece por causa de um estreitamento do aqueduto de Sylvius, ou associado a patologias tumorais ou hemorragias cerebrais que causem obstrução destas vias.

Não-obstrutiva (Comunicante) resultado de aumento da produção do líquor ou diminuição de reabsorção. Sendo mais comuns nos sangramentos no espaço subaracnóideo. Pode estar presente ao nascimento ou podem acontecer depois.

Pressão Normal é um tipo de hidrocefalia adquirida (comunicante) no qual os ventrículos estão aumentados, porém não ocorre aumento da pressão,sendo mais comum em idosos. Podendo ser resultado de trauma ou doença, mas as causas ainda não são bem descritas.

O sintomas vão depender da idade, ate o final do primeiro ano de vida, devido ao não fechamento das placas ósseas que formam o crânio, a hidrocefalia vai se manifestar pelo aumento do perímetro cefálico onde teremos um crescimento rápido e exagerado do Crânio e a Fontanela anterior (moleira) fica dilatada, podemos ter também crises convulsivas e irritabilidade.

Após o fechamento dessas placas ósseas (chamada moleira) os sintomas vão estar relacionados com o aumento da pressão intracraniana tanto em crianças quanto nos adultos.

  • Dificuldade para caminhar
  • Dor de cabeça
  • Mudança de personalidade
  • Diminuição da capacidade mental
  • Vômitos e sonolência

Nos pacientes sintomáticos o tratamento é cirúrgico na maioria das vezes, podendo optar pelas seguintes formas de tratamento:

DVP – Derivação Ventrículo Peritoneal – que é feita através da interposição de um conjunto de mangueiras que ligam as cavidades dilatadas do cérebro com a cavidade peritoneal. havendo uma válvula que vai regular a pressão de drenagem.

Procedimentos por Neuroendoscopia – É um procedimento realizado com auxilio de um micro-endoscopio , em hidrocefalias obstrutivas , que possibilita a abertura de um orifício por onde o liquor pode ser desviado para os canais normais de absorção. Neste caso não ha válvulas ou cateteres usados para a drenagem. Utilizamos esta técnica também em algumas doenças infecciosas como a neurocisticercose.

O que é Síndrome do Túnel do Carpo

Síndrome do Túnel do Carpo

Esta síndrome é causada pela compressão do nervo mediano que passa por um canal estreito no punho chamado de Túnel do Carpo. A compressão é causada pelo aumento das estruturas que passam pelo túnel ou pelo seu espessamento.

A doença é comum em pessoas que realizam trabalho manual com movimentos repetidos, mas também tem associação com alterações hormonais como menopausa e gravidez, o que explica a maior frequência em mulheres na faixa de 35 a 60 anos. Outras doenças associadas são Diabetes Mellitus, artrite reumatoide e doenças da tireoide.

Sinais e Sintomas

Os sintomas mais freqüentes são: dor, choque, dormência, formigamento e perda da destreza nas mãos. A dor é pior a noite, principalmente após uso exagerado das mãos durante o dia e pode ser intensa a ponto de acordar o paciente. A dor pode irradiar para o braço e até para o ombro. Atividades que promovem a flexão do punho por longo período podem aumentar a dor.

A diminuição da sensibilidade dos dedos, traduzida por dormência ou formigamento, acomete a palma da mão e poupa o dedo mínimo e o dorso da mão (Figura 2). Associada a uma certa fraqueza nas mãos, pode haver dificuldade de amarrar os sapatos, abotoar uma camisa e pegar objetos. Pode haver acometimento das 2 mãos em 60% dos casos.

Quando procurar um Neurocirurgião?

Caso os sintomas persistam por alguns dias, deve-se procurar um especialista. Quanto mais cedo for feito o diagnóstico e iniciado o tratamento, melhores são os resultados. O tratamento conservador é feito com antiinflamatórios, imobilização, fisioterapia e medicamentos específicos para o nervo. Infiltrações com corticoide também podem ser realizadas. Nos casos mais graves ou refratários ao tratamento clínico, a cirurgia está indicada.

O que é Síndrome de Arnold-Chiari

Síndrome de Arnold-Chiari

O Chiari tipo 1 é uma mal formação do crânio que acontece na altura da junção entre o pescoço e a cabeça. Ocorre quando uma parte do encéfalo chamada de cerebelo, entra no canal vertebral (Figura). Esta deformidade está relacionada a um problema na circulação do líquido céfalo-raquidiano (líquor). Este líquido envolve todo o sistema nervoso central, no crânio e no canal vertebral e, quando há um distúrbio da sua circulação, pode ocasionar uma série de sinais e sintomas. A síndrome pode aparecer também em pessoas que não apresentem qualquer deformidade, como resultado de outras doenças, no entanto, a forma mais comum é a congênita e acomete principalmente as mulheres.

Os sintomas costumam aparecer na fase adulta entre a terceira e quarta décadas de vida e os mais comuns são: dor cervical, dor de cabeça intensa, fraqueza muscular, dormência ou alteração da sensibilidade nos membros e dificuldade de equilíbrio. Outros sintomas que podem surgir são: vertigem, distúrbios visuais, zumbidos, dificuldade para engolir, palpitação, apnéia do sono, diminuição das habilidades motoras finas e fadiga crônica. O exame neurológico realizado pelo especialista auxilia na determinação do diagnóstico, uma vez que pode identificar alteração dos reflexos, da coordenação, do equilíbrio, da marcha, dos nervos cranianos entre outras. A confirmação do diagnóstico é feita pela Ressonância Nuclear Magnética que mostra o defeito na junção entre o crânio e a região cervical.

Essa doença exige o acompanhamento com neurocirurgião, para que o tratamento cirúrgico seja indicado no momento oportuno, quando aparecem evidências da deterioração neurológica, progressão dos sintomas que se tornam incapacitantes e piora das alterações na Ressonância Magnética. A cirurgia é feita através de uma incisão na parte de trás da cabeça e do pescoço sob anestesia geral e visa a descompressão das estruturas nervosas e o restabelecimento da circulação do líquor. Essa cirurgia geralmente apresenta ótimos resultados.